Tecendo redes, abrindo espaços, Primeira Infância em foco

22 de abril de 2019

Há dez anos, a primeira infância latino americana, ainda com pouca visibilidade nas discussões mundiais, recebia um importante apoio para abertura de espaços nas trocas de informação e articulações para incidência em prol de seus direitos num importante evento global – o World Forum on Early Childhood Care and Education, que acontece desde 1999, organizado pela World Forum Fundation.  O trabalho que vinha sendo realizado pela brasileira Vera Melis, representante nacional do World Forum no Brasil há 12 anos, passou a contar com a parceria da Avante – Educação e Mobilização Social, por meio da seleção de Maria Thereza Marcilio, sócia fundadora da instituição e atual presidente, para Global Leader (GL), em 2009. A Avante colaborou com as articulações que levaram a Rede Nacional Primeira Infância (RNPI) a tornar-se organização parceria no evento, em 2013.

Iniciava-se ali um novo movimento no evento que culminou com a participação ampliada da Avante e da RNPI nas plenárias e sessões do World Forum, com direito a fala; além da seleção de uma segunda integrante da Avante para GL (2014)Ana Oliva Marcilio, especialista em infância e consultora associada da instituição. Conquistas que colaboraram para o fortalecimento dos espaços de visibilidade da infância na América Latina.

Garantia de direitos

Uma das temáticas enfocadas pela equipe Avante nos eventos realizados pela World Forum Fundation, a cada dois anos, é a escuta e o direito das crianças de participar, abordada na sessão: Social media and Advocay for early childhood care and education, no evento desse ano (2019), que aconteceu em Macau, na China, de oito a 11 de abril. A Avante foi representada por Maria Thereza (mediadora), e Ana Marcilio, que utilizou seu espaço de fala para trazer a criança como potente defensora de seus próprios direitos.  “É importante, sempre, termos o cuidado de garantir uma abordagem positiva para que não se crie mais uma situação de violação de direitos, ou seja, ela deve poder participar e ser protegida ao mesmo tempo, de maneira balanceada e equilibrada”, disse a especialista em infância da Avante.

Como ressonância do espaço conquistado, a RNPI teve duas importantes participações nessa mesma sessão: Miriam Praguita, coordenadora da secretaria executiva da RNPI, que falou sobre a importância das articulações em rede da sociedade civil para realização de advocacy pelos direitos; e Luciana Abade, também integrante da RNPI e selecionada Global Leader esse ano pela Rede, que falou sobre a importância da qualificação dos profissionais da mídia para falar da primeira infância.

VoC

Outra conquista estratégica foi a reprise do documentário Voices of Children (VoC) durante plenária de abertura do evento, em Macau. O audiovisual, que fora lançado durante o fórum mundial em 2017 pela equipe que idealizou, produziu e lançou o VoC, esteve no centro do diálogo com lideranças pela primeira infância de todo o mundo. Na ocasião, Ana Marcilio falou sobre a experiência de registro das escutas das crianças de cinco países: Singapura, Estados Unidos, Quênia, Índia e Brasil, realizada a partir de abordagens positivas sobre o que elas pensam sobre a própria vida, o lugar em que mora, a escola e como gostariam que fossem. Além de explorar os eixos de participação e proteção, no que tange os direitos desse público. A sessão foi mediada pelo professor John Nimmo e também contou com a participação de Vashima Goya e Maria Thereza Marcilio. Todos integrantes da equipe central de produção do VoC.

O documentário, que foi elaborado e produzido voluntariamente pelos integrantes do GT Children’s Right, do World Forum, está disponível online na página da World Forum Fundation desde o segundo semestre de 2018 e já teve mais de 4000 visualizações. O Voices of Children também foi apresentado em debates em universidades americanas, brasileiras, de Singapura, inglesas, País de Gales, Argentina, Portugal e etc, proporcionando um diálogo cm mais 7000 pessoas acerca dos direitos da Primeira Infância para educadores, estudantes, especialistas em infância e militantes.

Hoje, o vídeo já tem tradução para português, espanhol, mandarim e inglês. A apresentação na abertura do fórum mundial foi feita para cerca de 700 lideranças pela primeira infância, de 71 países.