Seminário dá mostra da qualidade na interação com bebês

14 de maio de 2019

É comum ouvirmos que a criança aprende pelo exemplo. Só as crianças? O exemplo e a coerência entre a fala e a postura respeitosa foram elementos fundamentais na promoção da fruição da palestra proferida por Isabelle Deligne, pediatra francesa, experiente formadora da Associação Pikler Lóczy França, que esteve em Salvador no dia três de maio para dialogar com familiares, profissionais da saúde, da educação, da assistência social e interessados na temática da primeira infância, durante o II Seminário Internacional Abordagem Pikler. O evento foi realizado pela Avante – Educação e Mobilização Social, em parceria com a Entrelaços da Infância e Rede Pikler Brasil. Na ocasião foi lançado o IX Trocando em Miúdos – Intercâmbio Internacional, que oportuniza uma experiência formativa de profissionais brasileiros com a Abordagem Pikler, por meio de imersão em instituições de referência mundial, que trazem um olhar único e específico para bebês, em Budapest e Berlim.

Isabelle Deligne traduziu, pela forma como conduziu o trabalho, o que é um modelo de boa formadora. Para quem o aprender vem carregado de prazer e emoção; para quem leva a sério a crença de que a criança aprende uma coisa de cada vez, com calma, respeito e valorização; para quem é fundamental a coerência entre a prática e a teoria. Ou seja, apenas adultos que estejam bem consigo mesmos, que se sintam valorizados podem transmitir tais valores às crianças, desde os primeiros dias de vida. Assim, Isabelle Deligne ressaltou a importância do cuidar do cuidador durante o processo formativo. “Um fator que favorece o bem estar das crianças é estar acompanhado de adultos que tenham uma boa autoestima, que acreditem no que estão fazendo, que lhes pareçam oferecer segurança. E isso significa colocar o tempo todo o que estamos fazendo em questão, refletir sobre o que fazemos. Por isso, a nossa profissão é tão bela, porque nos permite essa reflexão constante. É fundamental observar as crianças. É isso que temos que fazer o tempo todo”, disse a uma plateia atenta e encantada com o mergulho nos conhecimentos construídos no pós Segunda Guerra Mundial pela pediatra húngara Emmi Pikler a partir de uma série de estudos sobre crianças, em especial de zero a três anos, que culminaram numa abordagem sensível e ética de cuidado.

Os temas abordados por Isabelle foram desde detalhamentos sobre como a aprendizagem inerente às crianças nos primeiros anos de vida ocorre primordialmente pelo uso do corpo, até sua relação com o ambiente e, em especial, com os adultos envolvidos nos seus cuidados. “Na criança tudo se inicia a partir do que ela sente em seu corpo, para depois se tornar algo da ordem do psíquico. A maneira como elas são tocadas, carregadas, por exemplo, diz muito. Ela percebe se é carregada de uma maneira respeitosa, ou como um saco de batata. Por meio do seu corpo elas podem compreender quais as nossas reais intenções. O adulto pode ter uma voz carinhosa, mas a forma como ele segura a criança pode transmitir-lhe uma informação contrária”, esclareceu.

O que foi dito e sentido ao longo dos dois momentos formativos do dia, pela manhã: Vínculo e saúde integral do bebê, e pela tarde: Inspirações da abordagem na formação, foram ganhando em importância à medida que cada detalhe ia sendo revelado. E o porquê do encantamento foi respondido pela própria Isabelle Deligne enquanto olhava nos olhos e tocava as participantes exemplificando o conhecimento que procurava transmitir com generosidade. “Não existem muitas formações profissionais que contemplem essas informações de como se processa o desenvolvimento das crianças pequenas. A gente aprende, de forma genérica, mais ou menos, a como cuidar delas. As crianças precisam de mais sutilezas para serem cuidadas. Temos à frente uma vida de pesquisas e estudos”, alertou.

“O evento nos toca profundamente e nos mobiliza a nos surpreender com as crianças, a vê-las desde bebês como sujeitos competentes. Fico feliz em ser tocada para perceber as crianças como seres inteiros, que se comunicam com o corpo, através de todos os seus sentidos e se conectam com os adultos nas sutilezas das relações que estabelecem”, disse Carla Jamille, coordenadora pedagógica da Rede Municipal de Educação de Camaçari (BA), presente ao evento. Para a gestora do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Pio Bittencourt, da Rede Municipal de Salvador, o encontro foi repleto de magia: “Foi fantástico, mágico e esclarecedor. Fortalece-nos na nossa prática pedagógica”, disse.

História

A Avante realizou o I Seminário Internacional Abordagem Pikler em 2010, quando trouxe para Salvador Sônia Kliass, sócia fundadora Associação Pikler – Hengstenbert, da Cataluña. De lá para cá vem se dedicando a disseminar conhecimentos sobre os cuidados com bebês e levando a prática para a educação do município. “Eu quero dizer a vocês que tenham muito orgulho, porque Salvador é a única cidade brasileira que tem Pikler na raiz das crianças. Vocês tiveram esse privilégio de terem tido uma revisão dos referenciais curriculares inspirados na Abordagem. Nós fizemos o material da família, da criança, dos gestores e isso é uma coisa preciosa. É uma coisa muito boa o que aconteceu, se você pensar no universo das crianças soteropolitanas”, disse Maria Lucia Peçanha, especialista no segmento creche, membro fundadora da Rede Pikler Brasil e vice-presidente da Associação Pikler Brasil, na abertura da mesa.

Maria Lucia faz alusão ao Referencial Curricular Municipal para Educação Infantil de Salvador e outros materiais voltados para as crianças, as famílias, professores e gestores elaborados de forma participativa pelo programa Nossa Rede Educação Infantil, parceria da Avante com a Secretaria Municipal de Educação do município. Ela conheceu a Avante quando a instituição realizou o I Seminário; esteve entre as 27 profissionais que participaram do VI Trocando em Miúdos – Intercâmbio Internacional, também voltado para os interessados em abordagens inovadoras para crianças de zero a três anos, que estiveram em Paris e Barcelona para uma visita às associações Pikler Lóczy e Mestres Rosa Sensat, respectivamente.

Agora, por meio da parceria entre a Avante e a Rede Pikler Brasil, Lucia  colabora na organização do IX Trocando em Miúdos Intercâmbio Internacional – experiência na Abordagem Pikler em Budapest e Berlim, que levará outro grupo de interessados para mais um mergulho formativo na temática; e, em 2020, promoverá o Encontro Nacional da Rede Pikler em Salvador.