Notícias

Revista portuguesa publica artigo sobre escuta de crianças na formação docente

14/02/17 14:53 - Notícias

14 de fevereiro de 2017

Com o tema Estudos da Criança, a revista científica portuguesa Saber e Educar publicou, na 21ª edição de 2016, o artigo “Aprender a escutar crianças: um dispositivo de formação”, escrito por Mônica Samia, consultora associada da Avante – Educação e Mobilização Social e coordenadora de projetos ligados à formação docente, e Maria Inez da Silva de Souza Carvalho, professora associada da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

O artigo defende a importância de aprender a escutar crianças como um elemento da profissionalidade docente, e, como consequência, a urgência de incorporar a aprendizagem deste tipo de atitude nos processos formativos. Segundo as autoras, aprender a escutar as crianças corresponde à habilidade de realizar uma observação atenta, aberta e sensível às atitudes das crianças, interpretando seus sentidos e incorporando esses saberes na prática.

As autoras destacam que essa abordagem busca estabelecer um diálogo genuíno entre adultos e crianças, promovendo aproximações e novas relações de poder, menos verticalizadas. Com isso, promove o conhecimento sobre as crianças a partir delas mesmas e convida o adulto a entrar no universo infantil, para melhor compreendê-lo.

Pesquisa

A defesa contida no artigo advém de processos de construção ligados à lógica da infância e das narrativas que emergiram no campo da pesquisa de doutorado Diálogos formativos: singularidades nas experiências de formadores da educação infantil (2016) – de autoria de Mônica Samia e orientação de Maria Inez da Silva de Souza Carvalho. A pesquisa, que teve como pergunta orientadora “Como os formadores da Educação Infantil constroem sua profissionalidade?”, foi desenvolvida por meio de dois dispositivos metodológicos complementares: rodas de conversa e entrevistas com especialistas.

Saber & Educar

Fundada em 1994, Saber e Educar é uma revista de natureza científica do domínio das Ciências da Educação, que tem como objetivos prioritários: publicar investigações inéditas de natureza científica realizadas no domínio das Ciências da Educação, com incidência secundária no domínio das Ciências Sociais e Humanas quando relevante para a área da educação; promover a cooperação entre investigadores e profissionais da educação, nacionais e estrangeiros, com vista ao aprofundamento da relação entre teoria e prática no domínio da educação.

Avante e a escuta de crianças

A Avante tem como missão formar pessoas visando a promoção e garantia de direitos, além do desenvolvimento e sistematização de tecnologias sociais. Como destaque, ao longo dos #20anosAvante, os projeto voltados ao processo de escuta de crianças e adolescentes, com a finalidade de assegurar espaços de participação para esses dois segmentos, tiveram um especial destaque.

Projetos institucionais como o Infâncias em Rede, o Vozes da Cidade e o Posso Falar? são exemplos concretos, com metodologia construída pela organização, com base em referências teóricas atuais e documentos legais. O Nossa Rede Educação Infantil e o Programa Paralapracá, por sua vez, ampliaram o alcance da proposta de valorização da participação da criança, formando educadores para escuta e o fomento da ação protagônica desses sujeitos.

Esses dois projetos foram, ao longo da história institucional, duas forças disseminadoras importantes, ao levar a valorização da escuta de crianças para as instituições da Rede Municipal de Educação de Salvador, por meio do Programa Nossa Rede, e outras dez redes no Nordeste, por meio do Paralapracá. Mônica Samia esteve à frente da coordenação dessas duas iniciativas, juntamente com outros consultores associadas da Avante.