Notícias

Projeto Paralapracá entra em fase de expansão

26/02/16 13:19 - Notícias

26 de fevereiro de 2016

Projeto Paralapracá entra em fase de expansãoO Instituto C&A e a Avante – Educação e Mobilização Social realizarão, durante o mês de março, reuniões de repactuação com os municípios nordestinos que participaram da implementação do projeto Paralapracá entre 2013 e 2015: Camaçari (BA), Maceió (AL), Maracanaú (CE), Natal (RN) e Olinda (PE).

Por meio da repactuação, neste ano e no próximo, o projeto será ampliado para todas as unidades de Educação Infantil da rede pública presentes nas cinco cidades. Durante o período 2013-2015, o projeto Paralapracá beneficiava cerca de 30 escolas por município.

O projeto Paralapracá é uma ação do programa Educação Infantil do Instituto C&A que tem como objetivo contribuir para a melhoria da qualidade do atendimento às crianças na Educação Infantil, com vistas ao seu desenvolvimento integral. O projeto se desenvolve em aliança com as secretarias municipais de educação dos municípios participantes e em parceria técnica com a Avante – Educação e Mobilização Social, possuindo dois âmbitos de atuação: a formação continuada de profissionais de educação infantil e o acesso a materiais de uso pedagógico de qualidade, tanto para crianças quanto para professores.

As reuniões de repactuação do projeto contarão com a participação de representantes das secretarias municipais de Educação, do Instituto C&A, da Avante e de técnicos envolvidos na avaliação da iniciativa. O Instituto C&A será representado nos eventos por Patrícia Lacerda, gerente da área Educação, Arte e Cultura da organização, e Janine Schultz, coordenadora do programa Educação Infantil.

“Nesta nova etapa de apoio, a parceria tem o objetivo de fortalecer os municípios na sustentabilidade das ações do projeto Paralapracá a partir de 2018”, explica Patrícia Lacerda. Para tanto, prossegue a gerente, estão sendo construídas estratégias de implantação do projeto em toda a rede específicas para cada cidade. O trabalho tem como base o processo de avaliação do projeto no ciclo 2013-2015 e as metas estabelecidas para a educação infantil por cada município em seus Planos Municipais de Educação. “Esta proposta de continuidade do projeto é fundamental especialmente porque neste ano teremos eleições municipais, que podem acarretar grandes mudanças nas secretarias. Com um projeto estruturado, a chance de descontinuidade é menor”, pontua Patrícia.

Entre as ações previstas para 2016 e 2017 está uma formação, para as equipes de educação infantil das secretarias, com foco na aproximação com os profissionais responsáveis por outras etapas de ensino no município. “É importante que as equipes de educação infantil busquem uma proximidade com o grupo de ensino fundamental, por exemplo, para pensar a transição de uma etapa de ensino para outra e possíveis contribuições”, explica Patrícia.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) disponíveis no portal IBGE Cidades, a rede municipal de escolas de Educação Infantil de Camaçari é composta por 46 unidades de ensino, enquanto a de Maceió possui 53 escolas, a de Maracanaú, 50, a de Natal, 72 e a de Olinda, 44. As informações do IBGE são de 2012.

Fonte: Instituto C&A