Notícias

Projeto Paralapracá é ampliado em Teresina

23/04/13 17:09 - Notícias

23 de abril de 2013

O projeto Paralapracá mudou a realidade de 25 escolas de Teresina, Piauí, e a partir deste ano passará a contemplar todos os 153 Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI) da capital. O projeto é desenvolvido pelo Instituto C&A, em parceria com a Avante – Educação e Mobilização Social e a Secretaria de Educação de Teresina, com o intuito de formar educadores para explorar potencialidades das crianças da Educação Infantil e da própria escola, tendo como principal colaborador a família.

Em 2010, cinco municípios do Nordeste foram contemplados. As escolas receberam material didático e os coordenadores pedagógicos participaram do processo formativo, que envolve novas metodologias. As escolas passaram a trabalhar atividades relacionadas com os seis eixos do projeto: brincadeiras, artes visuais, música, histórias, exploração do mundo e organização do ambiente e a utilizar teorias educacionais que concebem as crianças como indivíduos capazes de aprender muito além do óbvio, facilitados pela ludicidades das novas ações.

Neste ano, a proposta é mais ousada: todos os CMEIs farão parte do projeto, ampliando seu alcance da metodologia do Paralaparacá para toda rede. A Secretaria Municipal de Educação reuniu gestores escolares no dia 18 de abril de 2013, no Centro de Formação Odilon Nunes, para apresentar a novidade.

A pedagoga do CMEI Roseana Martins, Liana Gregório, conta que a escola se abriu para novas ideias aproveitando melhor o espaço disponível e até a presença dos pais. Um exemplo disto foi a criação de um espaço denominado “Enquanto meu filho não sai”, equipado com revistas, livros e uma caixa de sugestões para as famílias.

A professora Jane Francisca expôs a experiência dos docentes que redescobriram novas formas de atuar em sala de aula. “No CMEI Maria José Arcoverde, tínhamos o hábito de brincar e cantar, mas o Paralapracá fundamentou teoricamente essas atividades, nos possibilitando um melhor direcionamento de metas. Saímos da rotina e fomos explorar a escola”, declara.

Em seu primeiro ciclo, o Paralapracá envolveu cerca de 1.100 professores de cinco municípios de diferentes estados do Nordeste e beneficiou quase 18 mil crianças. As escolas de Teresina e Jaboatão dos Guararapes (PE), participantes do ciclo anterior do projeto, continuarão sua formação, agora sob a perspectiva da qualificação de registros pedagógicos, que terá a ação presencial potencializada pelo uso de um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA).