Notícias

Olinda: socialização de experiências marca encontro de professoras da Educação Infantil

10/10/16 14:23 - Notícias

10 de outubro de 2016

olinda-socializacao-de-experiencias-marca-encontro-de-professoras-da-educacao-infantil“Olinda! Quero cantar a ti esta canção. Teus coqueirais, o teu sol, o teu mar […]”. O Hino do Elefante de Olinda (PE), popularmente conhecido na voz de Almir Rouche – um dos principais artistas do carnaval pernambucano e puxador oficial do Galo da Madrugada –, foi entoado diversas vezes durante o II Encontro de Formação com Professoras da Educação Infantil, que aconteceu no município, no dia 12 de setembro de 2016, na Faculdade de Comunicação, Tecnologia e Turismo de Olinda (FACOTTUR). Os versos traduzem as paisagens locais tão presentes nas experiências pedagógicas socializadas pelas instituições de Educação Infantil, com diversos atores da Rede Municipal de Educação durante o evento, que teve como tema: “Encantos, cantos e contos – a presença de Olinda na Cultura Infantil”.

As experiências apresentadas no encontro resultam das formações do Paralapracá e tomaram como inspiração a publicação: Estação Paralapracá, que integra a Coleção de materiais do Programa e vem influenciando a prática pedagógica nas redes municipais atendidas pela iniciativa. Uma frente do Programa Educação Infantil, do Instituto C&A, realizado em parceria técnica com a Avante – Educação e Mobilização Social, o Paralapracá atua em dois âmbitos: a formação continuada de profissionais de Educação Infantil e o acesso a materiais de uso pedagógico de qualidade.

“Com a chegada do Paralapracá, começamos a observar que era possível fazer com o mínimo, organizando o espaço, colorindo uma parede, potencializando o uso de um material, e o que para mim é mais importante: trazendo o coordenador pedagógico para o lugar do qual foi destituído, de formador, daquele que está junto com a equipe, que apreende e depois distribui com os demais. E tem surtido um efeito maravilhoso, porque é literalmente uma escada de retroalimentação. Nós [coordenadoras pedagógicas] somos alimentadas, alimentamos as professoras, que alimentam as crianças”, afirma a coordenadora pedagógica da Escola Municipal Monte Castelo, Ester Ferreira.

Experiências inspiradoras

O encontro intercalou as apresentações de 12 experiências pedagógicas, com momentos para considerações e perguntas, como a da professora Maria do Carmo Oliveira, da Escola Municipal Isaac Pereira, sobre as experiências socializadas: “por onde a gente começa? Será que a gente pode fazer essa experiência nas nossas escolas? Descomplica isso para a gente, acho que seria legal.”

A resposta dada pela professora Juçara Nogueira explica como é possível construir um trabalho inspirador. “Basta a gente ter esse olhar apurado, esse olhar mais minucioso, para coisas que são tão simples e estão tão próximas a nós, para poder desenvolver um trabalho inteligente, valoroso e de aprendizagem. Ter uma pessoa com sensibilidade para a música, para poder dar o pontapé inicial, por exemplo”, referindo-se à paisagem sonora Uma tarde musical, vivenciada pelas crianças da Escola Municipal Pró Menor, com o músico francês Yves Guet, que culminou com uma paródia da canção A loja do mestre André.

Paisagens culturais

Elaboradas com base na experiência de implementação do programa Paralapracá nos municípios do primeiro ciclo (Campina Grande – PB, Caucaia – CE, Feira de Santana – BA, Jaboatão dos Guararapes – PE e Teresina – PI), as paisagens culturais reunidas na Estação Paralapracá valorizam e disseminam os saberes da cultura local, destacando a importância deste tipo de conhecimento na construção da identidade das crianças e, consequentemente, no currículo da Educação Infantil.

Em Olinda, além da paisagem citada anteriormente, mais onze trabalhos foram apresentados: Explorando o Coqueiro do Nosso Quintal, da Escola Municipal 19 de Setembro; Viva São João na Vila São Bento, da Escola Municipal São Bento; Brincando com a Linguagem, do CMEI Mãe Outra; Vivenciando a arte que vem do barro, da Escola Municipal Isaac Pereira; Biblioteca Sustentável, da Escola Municipal Alto do Sol Nascente; Espaços, tempos, quantidades e relações, da Escola Municipal Nossa Senhora do Monte; Pontinhos de Leitura, da Escola Municipal Base Rural, Contos de assombração, da Escola Municipal Monte Castelo; Creche, creche, venha à nossa festa!, do CMEI Santa Bárbara; Brinquedos e brincadeiras populares, da Escola Municipal Joana Sena; e Lanche, prosa e poesia, da Creche Bartolomeu Aroucha.