Notícias

Nossa Rede Educação Infantil forma técnicos para navegar no Sistema de Monitoramento

22/06/16 12:12 - Notícias

22 de junho de 2016

O moNossa Rede Educação Infantil forma técnicos para navegar no Sistema de Monitoramentomento de utilizar a plataforma web de Monitoramento da Educação Infantil da Rede Municipal de Salvador chegou. Para tanto, como parte do processo de implementação do programa Nossa Rede Educação Infantil, do qual o Sistema de Monitoramento é uma das quatro linhas de ação, foi realizada formação com representantes das instituições de ensino.

A coordenadora pedagógica da Escola Municipal Eloyna Barradas, Márcia Lago, foi uma das mais de 300 representantes de instituições que participaram da formação. Depois de passar alguns dias aplicando a auto avaliação na instituição, a partir dos Indicadores da Qualidade na Educação Infantil (INDIQUE) Salvador – uma adaptação do INDIQUE Nacional, Márcia Lago experimentou o lançamento dos dados no sistema. “Achei bem organizado, bem tranquilo. Cometi um erro e tinha alguém para me orientar, isso é bom porque no momento do lançamento oficial não cometerei o mesmo erro outra vez”, disse.

A formação, organizada pela Avante – Educação e Mobilização, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (SMED), foi ministrada por representantes da empresa Invento, responsável pela construção do software. Para Adriana Caroline, membro da Invento, foi também uma oportunidade para testar a tecnologia e obter um retorno daqueles que irão usá-la. “Esse momento é também parte do desenvolvimento desse tipo de ferramenta. Os próprios formandos, como esperado, chamaram a atenção para detalhes que foram aperfeiçoados”, disse.

Pioneirismo

A Rede Municipal de Salvador é pioneira na elaboração de um o sistema de monitoramento para avaliar a qualidade do atendimento nesse segmento, usando uma plataforma online. O Sistema de Monitoramento da Educação Infantil traz para a prática a proposta de tornar possível uma análise da instituição educativa como um todo, nas dimensões pedagógica e administrativa, cuidando para que a qualidade do atendimento seja avaliada de modo contextualizado.

Indicadores

A interface da plataforma web reproduz o formato de avaliação proposto pelo INDIQUE Salvador, adaptado pela equipe da Avante-Educação e Mobilização Social para o programa Nossa Rede Educação Infantil. Participaram desta adaptação, por meio de um processo de construção coletiva, integrantes da equipe de Educação Infantil da SMED e do Grupo de Trabalho (GT) do Nossa Rede Educação Infantil que analisaram, contribuíram e validaram todos os materiais produzidos pelo programa.

Os ajustes realizados na adaptação do INDIQUE visaram ao atendimento das especificidades da Rede do município e a assegurar que demandas que precisam de articulação com outras instâncias e órgãos para serem solucionadas, sejam devidamente encaminhadas, conforme ressaltado na apresentação do documento.

Assim sendo, o software apresenta quatro ciclos que as instituições de Educação Infantil devem avaliar para monitorar a qualidade do seu atendimento: autoavaliação, planejamento, acompanhamento e avaliação do processo.

A auto avaliação da qualidade do atendimento que as instituições oferecem às crianças é a primeira fase do Sistema de Monitoramento da Educação Infantil e envolve todos os integrantes das comunidades educativas, incluindo as famílias. A fase seguinte é o de Planejamento, quando as instituições encaminham para sua GRE os fatores exógenos (que não podem ser resolvidos pela instituição) e escolhem entre os endógenos (que podem ser resolvidos internamente pelas instituições) aqueles que serão prioridade com vista à construção de um plano de ação que as ajudará a definir e organizar ações para solucionar as demandas, além de quem serão as pessoas responsáveis, os recursos necessários e qual o tempo previsto para a execução.

Após a organização dessas informações na plataforma, inicia-se o terceiro ciclo, o de Acompanhamento do plano de ação, que é feito periodicamente. Ao longo do ano, está previsto um momento para que as instituições registrem suas situações no Sistema, possibilitando uma visão completa da Rede, o que facilitará as tomadas de decisões da gestão municipal. A quarta e última fase propõe uma avaliação do monitoramento, identificando seus avanços, potencialidade e fragilidades.