Notícias

Fortaleza quer ser uma cidade educadora e se apoia em princípios do Comunidade de Aprendizagem

14/06/17 11:05 - Notícias

14 de junho de 2017

Uma cidade como um território educativo, na qual seus diferentes espaços, tempos e atores são compreendidos como agentes pedagógicos.  Esse é o objetivo da Rede Municipal de Educação de Fortaleza ao investir em ações que transformem a capital cearense em uma cidade educadora, até 2025. Para isso, construiu o Plano Municipal de Educação (PME) 2015-2025, que entre os fundamentos e princípios, dispõe sobre o projeto Comunidade de Aprendizagem.

O projeto, realizado pelo Instituto Natura e executado no município pela Avante – Educação e Mobilização Social, é baseado nos princípios da aprendizagem dialógica, cuja proposta é desenvolvida a partir de uma articulação com toda a comunidade (escola e seu entorno) pela melhoria da aprendizagem instrumental e da convivência. Esse é o princípio que vem sendo disseminado na Rede Municipal de Educação com o intuito de fomentar a intencionalidade educativa do território, garantindo a perenidade do processo de formação dos indivíduos para além da escola, em diálogo com as diversas oportunidades de ensinar e aprender que a comunidade oferece.

O Comunidade de Aprendizagem tem a Rede de Fortaleza como parceira há dois anos. Em 2017, essa parceria dá início a um novo capítulo, com a repactuação entre Secretaria da Educação e Avante, realizada em abril. “Significa a garantia de que a gente fez um trabalho bem feito, não só em termos pedagógicos, mas em termos políticos também. Mostrar o valor do Projeto e do trabalho da Avante para a secretaria antiga, a ponto de os gestores antigos indicarem que o Comunidade de Aprendizagem tivesse continuidade na nova gestão, demonstra o fortalecimento da nossa parceria”, explica a consultora associada da Avante e coordenadora do projeto na instituição, Carolina Duarte.

Em maio, Carolina Duarte realizou uma nova visita ao município para um encontro com os gestores das dez escolas integrantes do Projeto, e técnicos da SME, para reinício das ações. “Foi uma grande reunião de discussão, de alinhamento e planejamento do que vai acontecer em 2017, e de escuta, com os desafios que cada escola está passando, e o que elas almejam para o Projeto esse ano. É um momento que acontece a cada dois meses, quando o formador líder vai ao município para essa discussão geral sobre como está indo o Comunidade de Aprendizagem”.

“É necessário optar pela concepção de comunidades de aprendizagem, em razão da conformidade que mantém com as concepções pedagógicas norteadoras do Projeto Político-Pedagógico da Rede de Ensino do município”, disse o gerente da Célula de Fortalecimento da Autonomia Escolar, da Secretaria Municipal da Educação de Fortaleza (SME), Geraldo Magela. E para tanto, segundo ele, na última visita da equipe Avante, para formação dos diretores das escolas acompanhadas pelo Comunidade Aprendizagem, ficou ajustado a apresentação de uma proposta para formação de todos os diretores da rede.

Comunidade de Aprendizagem

Além do formador líder, as visitas de acompanhamento do processo de implementação são realizadas pela consultora associada da Avante, Gláucia Borja, em meses alternados. Em vez de estar todos os diretores e gestores juntos no momento de reunião, eles estão cada um na sua escola, desenvolvendo as atividades do Comunidade de Aprendizagem. A formadora local, então, passa um turno em cada escola, acompanhando o desenvolvimento do trabalho, dando devolutivas, apoiando, tirando dúvidas, mobilizando e sensibilizando professores e famílias para participarem do Projeto.

O Comunidade de Aprendizagem é baseado em um conjunto de Atuações Educativas de Êxito (AEE) voltadas para a transformação educacional e social, que começa na escola, mas integra tudo o que está ao seu redor. Combinando ciência e esperança, o Projeto visa à melhora relevante na aprendizagem escolar em todos os níveis, e também o desenvolvimento da convivência e de atitudes solidárias.