Notícias

Encontro discutirá políticas municipais de leitura

12/04/13 16:37 - Notícias

12 de abril de 2013

A construção de políticas públicas para garantia do acesso à leitura, às bibliotecas e ao livro pautará o I Encontro de Construção do Plano Municipal do Livro, da Leitura e da Biblioteca da Cidade de Salvador, que acontecerá no Centro de Cultura da Câmara dos Vereadores da Cidade de Salvador, dia 16 de abril, às 14h. A Rede EMredando Leituras participará da mesa de abertura do evento, sendo representada por Rita Margarete, coordenadora da Linha de Formação de Agentes Culturais da Avante.

O encontro tem a finalidade de mobilizar a cidade para participar da elaboração de políticas públicas em defesa do livro e do fomento à leitura. A expectativa é promover a definição de um marco para transformar Salvador numa cidade leitora. A gestão municipal e a sociedade civil se unem para cumprir com um dos principais objetivos propostos pelo Plano Nacional do Livro e Leitura – PNLL: “estimular a criação do Plano Municipal do Livro, Leitura e da Biblioteca”.

Para envolver os mais diferentes atores sociais envolvidos com o acesso ao livro e à leitura, o evento contará com a presença do prefeito de Salvador, Antonio Carlos Magalhaes Neto, da vice-prefeita, Célia Sacramento, do Secretário Municipal de Educação, João Bacelar, do Secretário Municipal do Desenvolvimento, Turismo e Cultura, Guilherme Bellinttani, do Ministério da Cultura (MINC), representado por Mônica Trigo, do presidente da Fundação Gregório de Matos, Fernando Guerreiro e do diretor do Instituto de Ciência da Informação da Universidade Federal da Bahia, Rubens Silva. Na oportunidade, será formado o grupo de trabalho para iniciar a construção do Plano Municipal do Livro, da Leitura e da Biblioteca.

 Diferenciais – Em 2006, o Ministério da Cultura instituiu o Plano Nacional do Livro e da Leitura, determinando que até 2010 os estados e municípios brasileiros instituíssem versões locais, desenvolvendo políticas públicas de acesso à leitura. Depois de sete anos, apenas Porto Alegre, entre as capitais e mais dez municípios brasileiros desenvolveram Planos. A EMredando vem, desde março, participando de encontros com a gestão municipal de Salvador, o que contribuiu para que a construção das políticas locais de fomento à leitura na capital baiana pudesse ter características mais democráticas.

De acordo com Rita Margarete, “em Salvador não há programas de fomento à leitura. O plano se constitui na primeira possibilidade de política pública de fomento à leitura, considerando o livro e a biblioteca como elementos fundamentais para formação de leitores”. Segundo a coordenadora da Linha de Agentes Culturais da Avante, o diálogo da EMredando e Avante com a prefeitura tem se dado de forma saudável e democrática, o que traz um diferencial para o plano soteropolitano, por estar sendo construído numa articulação da sociedade civil com a gestão pública.

O GT de construção das políticas contará com a participação de bibliotecas municipais, comunitárias, Conselho Regional de Biblioteconomia e outras entidades representantes da sociedade civil. A comissão ainda não está fechada e organizações e redes interessadas poderão contribuir durante o encontro.