Notícias

Crianças festejam a infância e o Paralapracá em Camaçari

09/11/15 13:45 - Notícias

9 de novembro de 2015

Crianças festejam a infância e o Paralapracá em CamaçariUma grande festa, com a presença de 150 crianças de sete instituições da rede municipal de educação, abriu o encontro de formação do projeto Paralapracá em Camaçari, realizado entre 19 e 23 de outubro. Espalhadas em uma área verde, repleta de árvores e espaços inspirados nos eixos formativos do Paralapracá, as crianças brincaram livremente, movimentando-se conforme seus interesses, em ambientes que receberam os nomes “Aqui se imagina”, “Aqui se faz arte”, “Aqui se brinca”, “Aqui se ouvem histórias”, “Aqui se canta e dança” e “Aqui se experimenta”.

A celebração ocorreu no Centro Integrado de Educação Infantil (CIEI) Parque Real Serra Verde, que compartilha sua ampla área externa com as crianças de outras instituições de educação infantil do município, em um projeto que recebeu o nome de Pomar Encantado. “Abrimos as portas para as crianças que não têm esse espaço, para que elas tenham a oportunidade de experimentar a natureza pelo prazer de experimentar e de vivenciar a infância sem medo”, explica Alzivania Batista, diretora do CIEI.

Além das crianças, as protagonistas do evento, a equipe do projeto Paralapracá foi saudada pelo prefeito de Camaçari, Ademar Delgado das Chagas, pela primeira-dama Edla Delgado e pelo secretário de Educação do município, Márcio Neves. Professores, coordenadores pedagógicos e familiares das crianças completaram a festa.

“Quando cheguei aqui pela primeira vez, me encantei com tudo isso e me lembrei da minha infância”, relatou o prefeito, ao dar as boas-vindas aos visitantes. “Que as crianças convivam e aprendam na natureza. Um aprendizado para a vida e para o nosso planeta”, completou. Janine Schultz, coordenadora do programa Educação Infantil do Instituto C&A, também vibrou com tudo o que viu: “Um espaço como este é o que a gente quer para todas as nossas crianças. Como é bom ouvir o som delas e sermos acolhidos assim”, observou ela, durante a cerimônia de abertura da formação.

Márcio Neves, por sua vez, chamou a atenção para a influência positiva do projeto Paralapracá na rede municipal de educação de Camaçari. “Sempre critiquei parcerias que deixam a secretaria refém da tecnologia que propõe. O Paralapracá não tem isso”, assinalou o secretário, mencionando o processo de formação do projeto, que aposta no fenômeno da reação em cadeia. “Nossos professores estão passando a ser formadores também”, afirmou.

Mônica Samia, coordenadora de implementação do projeto Paralapracá na Avante – Educação e Mobilização, se disse emocionada com a recepção, interpretando-a como uma pedra fundamental para o projeto: “Que as crianças possam sair das carteiras escolares e ir para os troncos das árvores”, conclamou. “A criança pensa pelo corpo. Quanto mais ela sofistica esse movimento, mais ela sofistica o pensamento”, justificou.

Além da recepção calorosa, a equipe do projeto Paralapracá – também formada pelas assessoras e membros das equipes técnicas das secretarias de Educação dos municípios de Maceió (AL), Maracanaú (CE), Natal (RN) e Olinda (PE), parceiros do projeto assim como Camaçari – ganhou ainda outro presente: uma animada roda que brincou o boi mimoso.

Conduzida pela Escola Comunitária de Parafuso, a brincadeira do boi mimoso foi cantada e dançada por todos. A atividade do boi mimoso é tradicional em Camaçari, onde muitos grupos praticam oficinas e ensaios que celebram e mantêm essa manifestação da cultura popular. “Essa música faz parte da rotina da escola. As crianças não ensaiam para se apresentar. Elas querem cantar e dançar a música sempre que têm oportunidade”, relatou Jeane Nascimento dos Santos, auxiliar administrativa da instituição. Para saber mais sobre o boi mimoso e outras tradições culturais de Camaçari, acesse a página de Paisagens Culturais deste site.

Segundo Simone da Silva Oliveira, supervisora de educação infantil no município, as formações do projeto Paralapracá realizadas com as coordenadoras pedagógicas ao longo do ano têm contribuído muito com a mudança de diversas dinâmicas dentro das escolas, a exemplo de apresentações como a do boi mimoso.

“Antes as crianças treinavam para se apresentar no palco para os adultos. Depois das formações do Paralapracá, os eventos tornaram-se delas. O espetáculo para o adulto se transformou em espaços criativos nos quais as crianças interagem”, destacou. O depoimento confirma a afirmação do secretário de Educação sobre a influência positiva do Paralapracá em toda a rede. É a partir do esforço de multiplicação do projeto travado pelo município que se pode constatar a mudança nas escolas de Camaçari.

O final da festa marcou o início de uma semana de muito trabalho, planos e reflexões. A programação do encontro incluiu diálogos sobre gestão da educação infantil e atendimento de qualidade, com José Mario Brasiliense e Oneide Ferraz, da ONG Escola de Cidadania e Gestão Pública Oficina Municipal, de São Paulo (SP); e um encontro com Edmar Brasil, especialista em música e construção de instrumentos e um dos autores do Caderno de Orientação do projeto Paralapracá Assim se Faz Música  e do Estação Paralapracá, sobre a linguagem musical na educação infantil.

A agenda da formação também contemplou atividades de planejamento do próximo eixo formativo do projeto, que é justamente o Assim se Faz Música. Tudo com muita conversa, música e festejo, inspirado na alegria das crianças do Pomar Encantado.

 

Fonte: Paralapracá.