Notícias

Avante intensifica ações de Advocacy pela Primeira Infância

07/07/16 13:38 - Notícias

7 de julho de 2016

Avante intensifica ações de Advocacy pela Primeira Infância

Incidir politicamente sempre esteve na linha de frente das ações da Avante – Educação e Mobilização Social, que desde o início desse ano conta com um novo reforço. Maria Thereza Marcilio, antes gestora institucional, agora se dedica mais integralmente à consultoria de projetos e a representar a instituição em ações de advocacy e contextos estratégicos. Nessa perspectiva, ela dedicou-se a uma intensa agenda entre abril e maio que fortalece, ainda mais, as articulações em rede e atuação da Avante no âmbito político.

Ela partiu de um encontro promovido pela Fundação Maria Cecília Souto Vidigal (FMCSV) para definir o perfil do seu Seminário Anual sobre Primeira Infância, que este ano acontecerá em Recife (PE); para o Kashmir, na Índia, em visita a experiências de educação e cuidado com a Primeira Infância, incluindo cooperativas de mulheres; para. De um encontro em São Paulo também promovido pela FMCSV junto com a Universidade de Nebraska para discutir possíveis componentes de uma pesquisa sobre Primeira Infância; para uma participação estratégica no XXVII Congresso Estadual da OMEP MS/BR, onde fez uma apresentação sobre Políticas Públicas para a Primeira Infância e o lugar da Educação Infantil, além de integrar uma roda de conversa sobre os desafios desse segmento da educação hoje no Brasil.

E do Brasil para a Itália, a Avante se fez presente em um seminário na cidade de Mercatello sul Meatauro, na regíão de Marche, sobre Liderança para a Mudança: Identidade, Justiça Social e o direito de ser visível (Leadership for Change: Identity, Social Justice and the Right to be Visible), coordenado pelos professores John Nimmo e Debbie LeeKeenan. Foram esses os caminhos da Avante, sob a representação de Maria Thereza Marcilio. “Eu já fazia essa representação para a Avante, que é, antes de tudo, uma instituição de advocacy, tendo os processos formativos como ferramenta de incidência. A diferença é que, agora, com mais disponibilidade de tempo”, diz. E ressalta o avanço institucional nos últimos anos no que se refere à defesa das causas abraçadas.

Em entrevista, ela conta um pouco o que traz desses eventos e encontros, e como foram acolhidos os posicionamentos da Avante em cada temática.

Encontro para preparação do Seminário Internacional sobre a Primeira Infância, iniciativa da FMCSV

“O encontro, que aconteceu em Recife, organizado pela Fundação Maria Cecília [FMCSV] juntamente com a juíza do Tribunal de Justiça e primeira dama de Pernambuco, Ana Luiza Câmara, teve como objetivo começar a pensar a realização do seminário que a Fundação realiza todos os anos no mês de outubro, sempre em São Paulo. Para esse Seminário, a instituição traz convidados de fora e muita gente do país também para discutir aspectos relacionados a direitos da primeira infância. Este ano, pela primeira vez, esse seminário vai se transportar para o Nordeste. Então, a Fundação teve a ideia de reunir um grupo, pessoas da região, para pensar temas e nomes, e organizar o evento em torno daqueles que dialoguem com a realidade local.

A metodologia do encontro possibilitou que muitas ideias emergissem e alguns nomes já surgiram para abordar alguns dos temas propostos. Ao final, a Fundação ficou de organizar esse material, retornar para esse grupo e ter outro encontro antes de outubro para fechar o evento.

OLHAR DA AVANTE

“A Avante propôs temas relacionados ao Marco Legal da Primeira Infância, ao qual a instituição, como integrante do Grupo Gestor da RNPI [Rede Nacional Primeira Infância], se vinculou bastante. Em especial a questão da intersetoralidade necessária ao atendimento da primeira infância, o fortalecimento da presença paterna desde a gestação, entre outros aspectos que foram destacados no Marco, não tão abordados antes.

Falamos da necessidade de expansão, com qualidade, da Educação Infantil. E aproveitamos para falar da atuação da instituição na formação de profissionais, na elaboração de materiais e de políticas públicas da Educação Infantil. Ressaltamos que a Avante executa o Paralapracá em 10 municípios no Nordeste, considerando as duas edições. Ou seja, que estamos presentes em redes municipais de educação que têm feito todo esse movimento”.

Kashmir – Índia

“Essa viagem foi realizada por meio do mesmo programa que levou a mim e a Ana Luiza Buratto [consultora associada fundadora da Avante], em 2013, para a Índia – o EduRetreat [intercâmbio, idealizado pela indiana Vashima Goyal, que disponibiliza programas globais de desenvolvimento orientados por profissionais de renome no meio acadêmico]. A relação com Vashima começou no World Fórum [World Forum on Early Childhood Care and Education], no grupo de direitos das crianças e no comitê de Voices of Children, fizemos um contato bom, encontramos muitas identidades, pessoais e entre países. Índia e Brasil podem contribuir muito um com o outro em diferentes aspectos.

A proposta do programa fazer um mergulho de reflexão, ter contato com a comunidade, entender a realidade e ao mesmo tempo realizar muitas trocas e descobertas pessoais. Lá, visitamos duas escolas, uma muçulmana e uma católica, de Educação Infantil e Ensino Fundamental. Foi muito interessante a discussão com os diretores, professores e ver as crianças em ação. Eu diria que pedagogicamente nenhuma delas teria algum destaque, mas em questão de valores, de convivência pacífica entre as diferentes profissões de fé, entre os diferentes grupos étnicos, a ideia da solidariedade e o compromisso com a comunidade local, nós temos muito que aprender com eles.

Visitamos também uma cooperativa de mulheres nômades da etnia Gujar, que produz bordados lindos e é apoiado por uma moradora de uma das vilas que visitamos, dona de um hotel belíssimo. Ela investiu na profissionalização das mulheres e pra isso construiu uma sistemática muito interessante, na qual as pessoas não ficam dependentes dela. Um dos objetivos era empoderar essas mulheres nômades, e muito discriminadas no Kashmir, para que sejam mais autônomas. O segundo objetivo é preservar esse trabalho, tal como existe há séculos. Também visitamos iniciativas de preservação da cultura [milenar] local, em especial o artesanato.

Me lembrou muito as experiências da Avante com as cooperativas de mulheres em Salvador. Alguns dos princípios são muito similares – a autonomia, a auto sustentabilidade, a preservação da cultura popular”.

OLHAR DA AVANTE

“A ideia é trazer o EduRetreat para o Brasil. Esse modelo de viagem que é de muita aprendizagem, de muita reflexão e de muito compartilhamento. Já houve primeira parceria com o programa indiano quando realizamos o Trocando em Miúdos Índia, quando a Avante levou brasileiros para lá num modelo semelhante.

Vashima está muito interessada em fazer o programa aqui no Brasil, trazer pessoas do mundo para cá e promover visitas a experiências importantes, inovadoras na educação e que preservem a cultura, além de apresentar mentes brilhantes brasileiras. Vamos começar a pensar nisso”.

Universidade de Nebraska/FMCSV

“O evento com a Universidade de Nebraska foi realizado, em parceria com a FMCSV. A Universidade tem um núcleo de primeira infância muito atuante em diferentes áreas – cuidado, proteção, inclusão, educação da primeira infância. Em contato com a Fundação, a instituição percebeu que no Brasil há grupos muito atuantes na primeira infância. Conheceu a RNPI, que articula tantos atores e tantas organizações. Assim, surgiu, entre a Universidade e a Fundação, a ideia de um encontro com pesquisadores e militantes da área da primeira infância para construir a possibilidade de parceria em pesquisas em temas relativos a esse público. Esse evento ocorreu em São Paulo, mas havia pessoas de todo o Brasil. Cerca de 30 pessoas de várias organizações, muitas delas da RNPI”.

OLHAR DA AVANTE

“O contato com a Universidade foi muito rico, ver o que eles estão produzindo lá. Tem muita coisa parecida com o que a gente faz aqui em termos de formação, em termos de escuta de crianças. Foi muito bom conhecer outras experiências do Brasil também”.

XXVII Congresso Estadual da OMEP/MS/BR

“Este foi o encontro estadual anual que a OMEP faz para discutir, principalmente, questões de educação infantil. A Avante foi convidada para fazer uma palestra sobre: Políticas públicas para primeira infância, o lugar da Educação Infantil, e participar da roda de conversa sobre os desafios desse momento. Havia cerca de 300 pessoas. Aconteceu num feriadão, minha palestra foi no dia de Corpus Christi e o auditório estava lotado. Lotado o dia inteiro. As pessoas permaneceram lá na sexta e no sábado. Eu sempre afirmo que se você chama o pessoal da educação eles realmente comparecem. Há um interesse muito grande”.

OLHAR DA AVANTE

“A palestra gerou um debate e a roda de conversa serviu para explicitar os enormes desafios que ainda existem na Educação Infantil do país, principalmente na atual conjuntura.  No debate, apresentei a experiência da Avante, em educação e mobilização, e a da RNPI, pois tem muita questão política envolvida no contexto atual. Na véspera, tinha ocorrido a audiência do ministro com o ator e com o movimento Revoltados On Line, do projeto Escola sem Partido. Esta situação gerou desconforto e desconfiança. Quando eu falei da Avante, como educação e mobilização, eu disse – agora é o momento de estarmos muito mobilizados. E várias perguntas foram em torno de como nos mobilizarmos para enfrentar esses desafios novos e os antigos. A educação está sempre agregando novos desafios”.