Notícias

Ambiente virtual aproxima equipes técnicas e enriquece as formações do Paralapracá

11/08/16 15:05 - Notícias

11 de agosto de 2016

Desde a sua concepção, o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) do Paralapracá visou à criação de conexão entre profissionais que atuam na educação infantil, formando redes de aprendizagem colaborativa, fomento à inclusão digital e o adensamento conceitual em relação aos eixos do projeto. Ao longo do tempo, a plataforma vem se consolidando como uma importante estratégia na formação de formadores, possibilitando que as profissionais de Camaçari (BA), Natal (RN), Olinda (PE), Maceió (AL) e Maracanaú (CE) conheçam melhor as redes de cada munícipio por meio de diálogos abertos sobre educação infantil de qualidade, do compartilhamento de pautas formativas, registros de paisagens culturais e experiências pedagógicas.

Segundo a coordenadora de educação a distância do programa Paralapracá, Lilian Galvão,  o Módulo Introdutório permitiu acolher e incluir profissionais de instituições de educação infantil ainda não participantes do programa, expandindo as ideias do Paralapracá nas redes. Segundo Lilian, “a inclusão de novos participantes ampliou o olhar sobre o que de fato acontece nas instituições, revelando alguns desafios e possibilidades presentes em seu cotidiano. Nesse sentido, nossa proposta formativa também desempenhou o papel diagnóstico e ajudou as equipes técnicas a reconhecer os avanços e as demandas que ainda estão presentes e merecem atenção e apoio.”

A equipe técnica de Maracanaú (CE), por exemplo, tem se empenhado em socializar com toda a equipe da rede municipal de educação infantil, tanto da secretaria como das escolas, as informações e experiências inspiradoras que encontram nas postagens das outras redes parceiras do Paralapracá nos fóruns do Módulo Introdutório. “Temos nos debruçado nas leituras, nos vídeos, e conhecer as experiências dos outros municípios ampliou o nosso olhar. Em nossas reuniões de gestão sempre conversamos sobre o que encontramos de inspirador nas outras redes. Eu, particularmente, gosto de socializar na equipe tudo que vejo de experiências, falas interessantes dos municípios que encontro no AVA”, afirmou a gerente de educação infantil do município, Solange Silvestre.

Troca de olhares

O compartilhamento de diversos olhares dentro do AVA tem fornecido subsídios para a rede conhecer melhor a realidade das instituições de Educação Infantil, como afirma a assessora do Paralapracá em Maceió, Geisa Andrade. “Fazemos das falas das coordenadoras, postadas no AVA, o nosso conteúdo de reflexão. Para a equipe técnica, é uma oportunidade excelente de conhecer melhor as equipes dos CMEI [Centros Municipais de Educação Infantil]. Para as coordenadoras, representa um momento relevante de se fazer ouvir pela equipe técnica. Para os municípios como um todo, uma oportunidade de trocas de olhares e opiniões. Ganhamos todos, principalmente as crianças que, com certeza, terão coordenadoras com um olhar mais profundo para um trabalho de formação com suas professoras.”

Além de ampliar o olhar sobre as práticas formativas e pedagógicas, essa interação no AVA tem estreitado a relação entre os municípios. “O AVA possibilita um encontro a distância, permitindo o diálogo, a troca de experiências, o contato com colegas que habitam outros espaços, vivenciam outras culturas, com realidades que são semelhantes e diferentes ao mesmo tempo. O que aproxima as realidades dos municípios e contribui para a ampliação dos nossos olhares para os diversos contextos de atuação do Paralapracá”, explicam as técnicas da secretaria municipal de educação e integrantes da dupla AVA de Maracanaú, Edlane Chaves e Kelly Cristine.

Paralapracá

Até 2017, o programa Paralapracá tem como foco o fortalecimento da gestão das políticas públicas municipais de Educação Infantil e a promoção da sustentabilidade do processo formativo nas redes municipais parceiras. O Paralapracá é uma frente de trabalho do programa Educação Infantil do Instituto C&A realizado a partir do estabelecimento de alianças com Secretarias Municipais de Educação, selecionadas para participar da iniciativa por meio de edital e implementado em parceria técnica com a Avante – Educação e Mobilização Social.

O programa possui dois âmbitos de atuação: a formação continuada de profissionais de educação infantil e o acesso a materiais de uso pedagógico de qualidade, tanto para crianças quanto para professores. Integraram o primeiro ciclo do programa os municípios de Jaboatão dos Guararapes (PE), Caucaia (CE), Feira de Santana (BA), Teresina (PI) e Campina Grande (PB). Neste segundo ciclo, que corresponde ao período de 2013 a 2015, cinco municípios integram o projeto: Camaçari (BA), Maceió (AL), Maracanaú (CE), Natal (RN) e Olinda (PE).”